Mineração no Brasil registra forte queda em balanço do 1º semestre - Portal Pebão - Portal Pebão

Destaques

Publicidade Página Inicial



quinta-feira, 28 de julho de 2022

Mineração no Brasil registra forte queda em balanço do 1º semestre - Portal Pebão

Mineração no Brasil registra forte queda em balanço do 1º semestre

•  Por: Minera Brasil 

Foto: Reprodução 

O mercado nacional de mineração registrou uma forte queda de 52,5% no saldo comercial do 1º semestre de 2022, em relação ao mesmo período do ano passado, conforme informou o IBRAM em balanço divulgado na quarta-feira (27)

Da mesma forma, o faturamento do setor também caiu 24%, saindo de R$ 149 bilhões para R$ 113,2 bilhões. Já a produção recuou 9%, com queda de 441 milhões de toneladas de bens minerais.

Segundo o Ibram, o desempenho ruim foi reflexo da redução das compras de minério pela China (quase 30% em dólar). Isso porque a exportação do país caiu 24%. Enquanto isso, a importação de minérios (em dólar) teve uma alta de 200%.

“Mais uma vez está comprovado com dados concretos que a mineração, inclusive a do Brasil, tem um comportamento cíclico e depende dos humores do mercado internacional para apresentar bons resultados. O desempenho setorial do 1º semestre está bem abaixo do que foi apurado no ano passado e o país perde divisas, atratividade para investimentos, geração de negócios, emprego, renda e tributos”, disse o presidente do IBRAM, Raul Jungmann.

O IBRAM acrescentou que vários fatores podem estar por trás das quedas de importação da China como, por exemplo, a redução da atividade na siderurgia como medida de controle da poluição durante as Olimpíadas de Inverno. Além disso, houve uma redução da demanda de aço devido à desaceleração da produção no país em meio às restrições da Covid-19. A guerra entre Rússia e Ucrânia também pode ter impactado o desempenho do Brasil na mineração.

Ainda segundo o IBRAM, o minério de ferro, minério mais produzido e exportado pelo Brasil, apresentou redução nas vendas externas de US$ 21,5 bilhões (167,1 milhões de toneladas) no 1º semestre de 2021 para US$ 15 bilhões (154,4 milhões de toneladas) no último semestre.

As exportações de ouro, por sua vez, caíram quase 8%, as de manganês 45%, as de cobre 20% e de bauxita 14%. Por outro lado, nióbio e caulim registraram alta de 9% e 13%, respectivamente.

Como mencionado, as importações subiram de forma significativa no último semestre, impactando o saldo comercial. As compras movimentaram US$ 9,4 bilhões, 199,9% a mais do que no mesmo período do ano passado.

“Com menos exportações e mais importações de minérios, o peso do saldo comercial de minérios no saldo total da balança comercial decaiu expressivamente: representou apenas 34% no 1º semestre de 2022. Já no 1º semestre de 2021, o saldo mineral representava 67% do saldo total”, disse o IBRAM.

Royalties – CFEM

Com relação à Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais – CFEM, os dois principais estados mineradores do país, Minas Gerais e Pará, tiveram queda de desempenho. 

MG teve faturamento de R$ 45,2 bilhões no 1º semestre de 2022 ante R$ 61,4 bilhões no mesmo período do ano passado. Já o Pará registrou um faturamento de R$ 41,4 bilhões no 1º semestre de 2022 ante R$ 65,4 bilhões no 1º semestre de 2021 (37% menor).

Minas Gerais ultrapassou o Pará em faturamento no 1º semestre, devido ao aumento das exportações de minério de ferro, que tiveram aumento no 2º trimestre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.