Simulação de emergência é realizada para alertar comunidade que vive em região de barragem Apa do Gelado - Portal Pebão

Destaques

Publicidade Página Inicial



segunda-feira, 30 de maio de 2022

Simulação de emergência é realizada para alertar comunidade que vive em região de barragem Apa do Gelado


A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (COMPDEC), em parceria com a Vale, realizou na manhã desta sexta-feira, 27, um simulado prático de emergência da Zona de Autossalvamento (ZAS) das barragens Gelado e Geladinho, da mina de Carajás, em Parauapebas.

O simulado é uma ação preventiva proposta no Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM), em acordo com a legislação prevista na Lei Federal nº 12.334 / 2010 e na Portaria nº 70.389/2017 do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Esta é a primeira vez que o simulado é realizado com a utilização de duas ferramentas de gerenciamento de desastres: o PAEBM e o Plano Municipal de Contingência (Plancon), elaborado pela Defesa Civil. É importante frisar que a ação é uma atividade preventiva para orientar a população.

O exercício teve duração de aproximadamente uma hora e contou com a atuação de agentes da Defesa Civil e da Vale, com apoio da Defesa Civil Estadual, Polícia Militar, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Grupamento de Bombeiros Militares (GBM) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Secretaria de Segurança Institucional e Defesa do Cidadão (Semsi) e Secretaria de Meio Ambiente (Semma).

Os moradores da zona rural de Parauapebas localizados na área de entorno das barragens, chamadas Zonas de Autossalvamento (ZAS), foram alertados por sirenes e acolhidos em pontos de encontro espalhados estrategicamente pela equipe e definidos como locais seguros no caso de uma emergência. O acolhimento das comunidades foi realizado com sucesso, mostrando a cultura de prevenção que tem sido empregada com os moradores.

A dona Francisca de Freitas de Sousa participou do simulado. “Eu achei muito bom, porque a sirene tocou e ouvi muito bem lá dentro da minha casa, esse ponto aqui é muito estratégico, porque dá para reunir todos e na hora de uma emergência estar próximo para a gente sair em retirada”, diz Francisca.
Jailson Sousa, coordenador municipal da Defesa Civil, pontuou que este não é o primeiro e nem será o último simulado a ser realizado. “Nossa preocupação são as comunidades e que elas entendam a importância de participar desse simulado. Estamos testando tanto a nossa equipe quanto a população, que nos dá a primeira resposta. Temos monitoramento e resgate à disposição, mas nosso trabalho também é sensibilizar as comunidades e fazê-las entenderem que são parte do processo – não apenas em um hipotético rompimento de barragem, mas em todas as zonas de risco assistidas pela Defesa Civil”, relatou Jailson.
Ana Carolina Pupo, coordenadora do PAEBM em Carajás, por sua vez, reforçou a importância do simulado, dizendo que “é mais uma medida preventiva para ampliar o conhecimento da população sobre o Plano de Ação de Emergência de Barragens e a participação de todos é fundamental para cada um saber a sua atribuição e responsabilidade para uma atuação efetiva em prol da segurança de todos”.
Este foi o terceiro simulado externo de barragem na Apa do Gelado, onde são realizados testes para avaliar as sirenes mensalmente. Também será realizado um seminário orientativo em atendimento a Resolução 95/2022 da Agência Nacional de Mineração (ANM). A Vale realizou neste mês de maio seminário orientativo em Canaã dos Carajás e Marabá. A iniciativa tem como objetivo aprofundar o conhecimento dos públicos mapeados sobre o PAEBM.
As barragens operam dentro da normalidade, passam por inspeções rotineiras de campo, autorias externas e são monitoradas permanentemente 24 horas por dia, sete dias por semana, por uma série de instrumentos e pelo Centro de Monitoramento Geotécnico (CMG).
Além de treinar o PAEBM, a Defesa Civil também realizou de forma integrada um treinamento do Plano de Contingência (Plancon), que fez de Parauapebas o primeiro município paraense a contar com um documento de planejamento e preparação para ações de resposta a desastres de origem natural ou tecnológica.





Texto: Juliano Corrêa (com informações da Assessoria de Comunicação Vale)
Fotos: Irisvelton Silva e Tami Kondo
Assessoria de Comunicação/PMP



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.