Laudo pericial contesta versão de atentado apresentada pelo candidato a prefeito Júlio Cesar - Portal Pebão

Destaques

ANUNCIE AQUI

Publicidade Página Inicial

Últimas Notícias No Facebook

quarta-feira, 11 de novembro de 2020

Laudo pericial contesta versão de atentado apresentada pelo candidato a prefeito Júlio Cesar

 Nesta  quarta-feira (11), a Polícia Civil do Estado do Pará divulgou o laudo da perícia do baleamento do candidato a prefeito Júlio Cesar (PRTB). O episódio ocorreu na estrada da Carimã, zona rural de Parauapebas, no dia 14 de outubro e agora está sendo desvendado. 

O delegado-geral do estado, Walter Rezende de Almeida e o diretor-geral do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, (CPCRC), Celso Mascarenhas, concederam uma entrevista coletiva nesta manhã, no Quartel do 23° BPM.

De acordo com o laudo, o Delegado-Geral afirmou  que o atentado contra o candidato Julio Cesar, não ocorreu da forma como narrado pelas testemunhas, que foram ouvidas pela Polícia Civil.  A perícia realizada indica que os tiros foram efetuados com o carro parado ou com uma velocidade, de no máximo, 9 km por hora. No Para-brisa havia três perfurações próximas umas das outras.

Foto: Facebook


O laudo, que é conclusivo, “muda com muita precisão” a condução das investigações


O laudo é totalmente divergente do que foi dito, em depoimento, por Júlio César e pelos outros três integrantes do veículo.


Com o laudo técnico-científico, será aberto inquérito policial e os quatro serão novamente ouvidos pela Polícia.


Caso o inquérito confirme que trata-se de uma farsa, Júlio César poderá responder por denunciação caluniosa (falso testemunho) e o Estado ainda poderá requerer ressarcimento e indenização do candidato, já que houve gasto de dinheiro público com a perícia e deslocamento de servidores.

Policiais que afirmaram existir dois laudos técnicos serão investigados pela Corregedoria. Segundo o Delegado-Geral, nunca existiram dois laudos.


Na coletiva, o delegado-geral disse que chamaram atenção da Polícia duas situações:

1) A perseguição de um carro pequeno a uma caminhonete.

2) Justamente no dia do “atentado”, Júlio César não usava o seu próprio veículo, que é blindado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.