Curionópolis: Agrediu a companheira, matou um e esfaqueou outro - Portal Pebão

Destaques

ANUNCIE AQUI

Publicidade Página Inicial

Últimas Notícias No Facebook

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Curionópolis: Agrediu a companheira, matou um e esfaqueou outro

Um homem foi executado com golpes de faca após tentar apaziguar uma briga de casal em Curionópolis, na noite de segunda-feira (23). A vítima, Eduardo Cavalcante Silva, foi uma das testemunhas das agressões que Francisca Elizabete Rocha, conhecida como Bete, sofreu do companheiro, Weden Araújo Oliveira, conhecido como “Nego Eder”, em um bar no Bairro da Paz.

Weden, conhecido como Nego Eder, responderá por três crimes.


Nego Eder e Bete estavam no bar e iniciaram uma discussão que resultou em um tapa no rosto da mulher. Ao perceber a agressão, Eduardo foi até o casal e disse: “não bate nela, não”. Nisso, Bete saiu transtornada do local e foi até outro bar, onde tomou três cervejas e depois foi para casa.

“Ele só me bateu, não sei o motivo, ‘tava’ bêbado. Eu fiquei sabendo hoje de manhã que ele matou alguém”, disse Bete.

Bete disse que saiu do bar antes do homicídio acontecer / Foto: Ronaldo Modesto


Eduardo e Weden ficaram no bar discutindo e logo em seguida os golpes de faca foram deferidos contra a vítima, que faleceu no local. Uma segunda pessoa tentou interferir, sendo Antônio Luis Alves dos Santos, conhecido como “Cabinha”, que também foi esfaqueado por Nego Eder, mas conseguiu escapar com vida.

Cabinha foi acompanhado por uma mulher que estava com ele no bar até o Hospital Municipal de Curionópolis, de onde, segundo o médico, precisará ser transferido para Marabá devido o estado de saúde ser grave.

Agentes da Polícia Militar foram acionados, mas ao chegarem Weden já havia deixado o local do crime. Os militares acionaram um investigador da Polícia Civil que foi até o bar para apurar as informações preliminares.

Nego Eder foi localizado e capturado pela Polícia Civil, sendo encaminhado para a Delegacia do município onde foi autuado em flagrante.

Na Delegacia, o Portal Correio chegou a entrevistar Nego Eder e este, ainda muito alterado, alegou não ter cometido nenhum crime. “Juro por Deus, não fiz nada disso. Ele [Eduardo] era meu amigo demais, você acha que eu iria fazer uma coisa dessas?”, indagou Weden.

Delegado José Euclides acompanhou o caso / Foto: Ronaldo Modesto


Segundo o delegado, José Euclides Aquino, Weden responderá por homicídio doloso e tentativa de homicídio. “Além disso, ele também responderá pelas agressões contra a companheira, no âmbito da lei Maria da Penha”, acrescentou o delegado. 


(Zeus Bandeira e Ronaldo Modesto) Correio de Carajás

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.