Médico ginecologista é preso acusado de abusar sexualmente de pacientes no interior do Pará. - Portal Pebão

Destaques

ANUNCIE AQUI

Publicidade Página Inicial

Últimas Notícias No Facebook

segunda-feira, 13 de julho de 2020

Médico ginecologista é preso acusado de abusar sexualmente de pacientes no interior do Pará.

Médico ginecologista é preso acusado de abusar sexualmente de pacientes no interior do Pará.

Na manhã desta segunda-feira, 13, a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Tucuruí, prendeu, no município, o médico ginecologista Orlando Veiga Filho. O profissional que atua nos municípios de Breu Branco, Tucuruí e Parauapebas, é acusado de Violência Sexual Mediante Fraude. As vítimas seriam pacientes que frequentavam a clínica particular que ele presta atendimento.
A ação foi desencadeada a partir do registro de Boletim de Ocorrência Policial, no dia 02 de julho, na Delegacia de Breu Branco, registrado por uma mulher de 29 anos, que informou o crime durante o retorno de sua consulta ginecológica, feita, no mesmo dia, no Laboratório Biolab, pelo médico Orlando Veiga Filho.
Um exame pericial-sexológico da vítima foi solicitado, e atestou a prática de conjunção carnal recente, bem como o acompanhamento assistencial-psicológico, que constatou o seu abalo emocional.
Durante a investigação, policiais civis receberam denúncia anônima de que o médico já havia abusado sexualmente de outras pacientes. "A autoridade policial aprofundou as investigações, e apurou que o médico já exerceu atividade em diversos estados, como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Roraima e São Paulo, nos quais não há registro de sua especialidade como ginecologista nos Conselhos Regionais de Medicina. A investigação também apurou que, em 2011, no município de Itupiranga, ele havia abusado sexualmente de outra mulher, com o mesmo “modus operandi”", afirmou a delegada Luiza Moema, titular da delegacia de Breu Branco.
Diante do vasto conjunto de testemunhas, foi feita a representação pela Prisão Preventiva de Orlando Veiga Filho perante o Poder Judiciário de Breu Branco, com parecer favorável do Ministério Público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.